Desbravadores do Espiritismo em Teresópolis, 13º CEU - História

 

No ano de 1958 foi fundada, na cidade de Teresópolis, o Lar Izabel a Redentora, na Rua Oliveira, 321, para velhinhos, e o Grupo Escolar Izabel a Redentora, que congrega 550 alunos do jardim à 4ª série. Em 22/06/197 foi fundado pelo Sr. Henrique Alves da Cunha Magalhães, Dona Maria do Indá e Manoel Pereira o Grupo Espírita Isabel, a Redentora no mesmo terreno.

Em 16/03/1978 Maria Irene da Costa Araújo, Helena Assis, Lise Bravo da Costa Ferreira, Lygia Bastos Ribeiro, Fernando Hungria, Yeda Hungria, Beatriz de Araújo Pereira, Maria Teixeira, Divaldo Pereira Franco, Lygia de Oliveira Bastos, Nilson de Souza Pereira, Maria da Penha de Souza Medina de Araújo, Emilio Ribeiro Filho, Maretes Silva de Miranda Jordão, fundaram o Centro Espírita Aristides Silva, na rua Muqui, 90 em Teresópolis.

Nas primeiras atividades do Movimento Espírita Unificado, ainda como USEERJ (hoje CEERJ) em Teresópolis pelo CRE – Conselho Regional Espírita de Teresópolis (hoje CEU) participaram o Sr. Ronaldo Vianna Pedrosa, Nadim Matar e Marbil Rodrigues. Marbil foi responsável pela idealização da 1ª Semana Espírita de Teresópolis, que é realizada anualmente até hoje e da 1ª Banca do Livro Espírita na cidade.

Em 28 de agosto de 1984, Inês Joaquina Santana Santos Coutinho, Otto de Moura Coutinho, Alvarina de Lima Alves, Jaime e Eth Kritz, e Marlene Doczy, fundaram a Casa Da Cultura Espírita Deolindo Amorim, com sede no morro do Pimentel.

 



Quem foi Henrique Alves da Cunha Magalhães

104 anos de uma existência toda dedicada à caridade (1900 – 2004)

Henrique Alves da Cunha Magalhães nasceu em 4 de dezembro de 1900 (quatro meses após o passamento de Bezerra de Menezes), na Freguesia dos Telões, Conselho de Amarante, Distrito do Porto, em Portugal, filho de Manoel Alves da Cunha Magalhães e de Ana Augusta da Cunha Coutinho. Aos 12 anos de idade, na companhia de um casal de primos de sue genitor, embarcou para o Brasil, chegando ao Rio de Janeiro em 11 de novembro de 1912. Até 1920, trabalhou arduamente no comércio para ganhar o pão de cada dia, mas as seqüelas da “gripe espanhola”, contraída em 1919, obrigaram-no a retornar à casa paterna. Durante a viagem a enfermidade cedeu por completo, e Henrique após visitar os pais, regressou ao Brasil, onde se estabeleceu definitivamente. Em 1931, adoeceu novamente, e fixou residência em Teresópolis, onde grassava uma epidemia de meningite. Com a filha mais nova atingida pela terrível enfermidade, Henrique, vendo-a piorar apesar dos desvelos do médico, aceitou a sugestão de obter uma receita homeopática dos Espíritos, não obstante sua aversão ao Espiritismo. Operou-se a “milagrosa” cura e Henrique começou a estudar O Evangelho Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, compreendendo o quanto andava distanciado de Jesus.

Em 1937, o Alto, através do Espírito Dr. João de Freitas, exortou-o a que, juntamente com outros idealistas, empreenda a fundação, em 1941, da benemérita Instituição Maria de Nazareth – Casa da Mãe Pobre, que passou a dirigir, desde quando, em 1946, substituiu seu primeiro Presidente, o Dr. Coriolano de Góis, falecido naquele ano. Sob sua condução, as atividades da Instituição, inspiradas no amor da Mãe Santíssima, expandem-se sob a forma de serviços assistenciais de diversa natureza, prestados em Teresópolis – Creche e Lar Isabel a Redentora, Mansão dos Velhinhos, Grupo Escolar Isabel a Redentora -, e no Rio de Janeiro – Hospital Maternidade e Ambulatório Dr. João de Freitas, Abrigo Sylvia Penteado Antunes e Lar Lucílio Ribeiro Torres, Creche Marieta Navarro Gaio.

Com o magnetismo das almas que tudo sacrificam pelo bem do próximo e que confiam absolutamente na Providência Divina, sem se descuidarem de cumprir os deveres que lhes asseguram os favores celestes, Henrique Magalhães, não obstante desprovido de grandes recursos, atraiu para a sua benemérita obra o concurso de devotados idealistas, assim assegurando, com o indispensável sustento do Alto, a continuidade de um serviço digno do venerando Espírito que o havia inspirado – Maria de Nazaré, a Mãe de Jesus.

O querido companheiro ainda encontrava tempo, em meio a uma intensa atividade, para escrever livros com que edificasse as novas gerações e as atraísse para a Seara do Mestre, tendo saído de sua pena as obras A Casa da Mãe Pobre – 50 anos de Amor, em 1991; Como Fundar e Manter Obras Assistenciais, 1995; Em Prol da Mediunidade – Pequena História do Espiritismo, 1998.

A Conferência Espírita Brasil-Portugal (16 a 19/3/2000) prestou-lhe sentida homenagem, por ocasião do seu centenário de nascimento, quando, por iniciativa de Francisco Bispo dos Anjos, a Federação Espírita do Estado da Bahia publicou um folheto em que, entre outros textos, figuram dados biográficos de nosso homenageado. Também a Federação Espírita Brasileira, em júbilo pelo grato evento, dedicou-lhe, em Reformador de novembro daquele ano, o artigo “Henrique Magalhães no seu Centenário”, de cujos informes biográficos nos servimos para esse texto.

Henrique Magalhães sempre foi um inestimável amigo da Federação Espírita Brasileira, tendo colaborado para a construção da Sede Central, em Brasília (DF), e do Departamento Gráfico, no bairro de São Cristóvão, no Rio de Janeiro (RJ), para não falar do serviço silencioso e fiel, de todos os dias, em prol dos ideais que norteiam os destinos da Casa de Ismael na Terra. Foi membro de seu Conselho Fiscal durante vinte anos, membro de seu Conselho Superior desde 1975 e representante do Ceará no Conselho Federativo Nacional, de 1951 a 1985.

No dia 20 de novembro de 1940, reuniu valoroso grupo de irmãs e irmãos idealistas e fundaram a Maternidade Casa da Mãe Pobre, na Rua Frei Pinto, 16, atualmente, 10 a 26. Três anos após, surgia a primeira Creche, em prédio próprio, no número 75 da mesma rua,e, logo a seguir, o Ambulatório Médico, para gestantes e crianças, com o fornecimento gratuito de remédios homeopáticos.

No ano de 1958 foram  fundados, na cidade de Teresópolis, o Lar Izabel a Redentora, Rua Oliveira, 321, para velhinhos, e o Grupo Escolar Izabel a Redentora, que congrega 550 alunos do jardim à 4: série, e, na cidade do Rio de Janeiro, a Instituição Maria de Nazaré.

Já no fim de sua existência, Henrique Magalhães, carregando as naturais limitações que a idade lhe impunha, afirmava feliz: “E continuo trabalhando, com a graça de Deus”, com que oferecia a seus irmãos de lutas terrenas uma profunda lição de bom ânimo e de perseverança no bem.

Fontes: http://www.casadamaepobre.org/wp/quem-somos/#.XcQfNFFKjRY

 Capa do Livro

 

13º CEU - Conselho Espírita de Unificação

2 LOGO REUNIR II sem fundo200x200Órgão de unificação e divulgação do movimento espírita de Teresópolis e Guapimirim, organizado e estruturado em consonância com os Estatutos do Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro – CEERJ, de acordo com as atribuições do Conselho Estadual Espírita de Unificação do Movimento Espírita do Estado do Rio de Janeiro – CEEU. REUNIR II - Teresópolis.

 

Contato

 
 
 
www.13ceu.org
 
 
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.